últimos raios de sol

Num domingo qualquer, fui à praia com minhas irmãs e a Matilda. Era quase pôr do sol e não teríamos muito tempo, mas o dia estava tão bonito que parecia o certo a se fazer.

Não tinha quase ninguém na areia - e apenas alguns surfistas na água. Tiramos nossos sapatos e começamos a correr. Quanto mais corríamos, mais a Matilda corria. E logo estávamos as três cansadas.

A energia da natureza era tão forte que tive a certeza de pertencer a algo muito maior. Na praia, meus problemas são simples de resolver e minhas dúvidas não me atormentam. Sou só mais uma peça dessa enorme máquina - e minha vida é exatamente como deveria ser. Encho meu peito de alegria e confiança e volto pra casa renovada.

basta

Tenho tentado me ensinar o quão saudável pode ser dizer "chega". Quando hábitos, pessoas ou atividades atrapalham mais que ajudam, talvez seja hora de abrir mão. Seguir em frente sem rancor, sentimento de fracasso ou vergonha. Afinal, tudo é experiência, tudo é aprendizado.

E é por isso que declaro encerrado meu projeto das semanas.

Por alguns meses, o simples ato de tirar fotos diárias e postar sobre elas no blog me fez muito bem. Consegui enxergar a importância daqueles pequenos momentos e perceber que representam quem sou.

Mas, ultimamente, o tempo ficou curto e a última coisa que lembrava era de fotografar. Muitas noites, saía da cama já pronta pra dormir e apontava a câmera pro que tivesse ao redor. O projeto perdeu o propósito e continuei apenas por obrigação. Contraditório, né?

Pretendo continuar postando fotos aleatórias por aqui. Mas, dessa vez, sem me prender a datas, temas ou legendas. Sempre encarei esse blog como uma espécie de terapia - e o que estou precisando agora é quebrar minhas próprias regras e me libertar de algumas amarras.